ÚLTIMAS NOTÍCIAS

20/07/2017

World-Way Aviation conclui o treinamento Global Towing Training da Bombardier

Após a conclusão do Gulfstream handling and Servicing training da FlightSafety, a World-Way Aviation continua em busca de treinamentos específicos de ground handling aprovados pela fabricante.

A World-Way Aviation concluiu com sucesso o treinamento Global Towing Training da Bombardier Aircraft Training.

“Uma vez que a maior parte da frota da Bombardier dos modelos Global XRS, 5000 e 6000 se encontram no estado de São Paulo, foi natural a busca por esse treinamento com o intuito de complementar o conhecimento da nossa equipe de ground handling seguindo recomendações aprovadas pela Bombardier”, argumenta Augusto Nunes, supervisor de operações.

Aproximadamente 27.000 acidentes e incidentes de solo ocorrem anualmente em todo o mundo, resultando em feridos e em custos consideráveis para o FBO e proprietário da aeronave.

“O compromisso da World-Way Aviation em elevar os padrões de segurança de ground handling é a nossa maior prioridade, está no nosso DNA. Embora o mercado continua negligenciando melhores práticas para operações de segurança em ground handling, nós sempre continuaremos a investir nesse importante fator”, diz Thiago You, gerente geral.

 

About Bombardier Global Towing Training eLearning

The Global Towing training course demonstrates the recommended towing procedures for the Bombardier Global series of aircraft, using a tow tractor and a towbarless vehicle.

This course uses video, static graphics, and animations to demonstrate towing procedures and considerations.

The procedures presented are for training purposes only and have been extracted from the applicable Global Ground Handling and Servicing Information Manual, Section 02.
 

Objectives

Upon completion of the course, the student will obtain the knowledge to perform towing operations using a tow tractor and a towbarless vehicle.

Lesson objectives: Towing using a tow tractor:
• Describe the safety precautions associated with towing operations
• Describe how to disconnect the nosewheel torque link
• State the hydraulic system no. 3 requirements for towing
• State the number of personnel required for towing operations
• Describe towing precautions and limitations
• Describe how to vent fuel from the vent system

Lesson objectives: Towing using a towbarless vehicle:
• Describe how to connect a towbarless vehicle to the nose landing gear strut
• Describe how to lift the aircraft using a towbarless vehicle

Outline
• Towing using a tow tractor
• Towing using a towbarless vehicle

 

10/07/2017

World-Way Aviation é o primeiro FBO do Brasil a concluir o Gulfstream Handling and Servicing Training

Com o compromisso contínuo de aprimorar os padrões de segurança de ground handling a World-Way Aviation concluiu com sucesso o treinamento Gulfstream handling and Servicing training ministrado pela FlightSafety.

Esta certificação vai auxiliar na mitigação dos riscos de ground handling, além de cumprir com as recomendações aprovadas pela Gulfstream, complementando as melhores práticas já estabelecidas nas operações diárias da World-Way Aviation.

"Com essa conquista, operadores de aeronaves Gulfstream podem ter a garantia de que a equipe de handling da World-Way Aviation esta treinada e altamente familiarizada com as recomendações da Gulfstream", diz Augusto Nunes, supervisor de operações.

De acordo com o treinamento Gulfstream Handling and Servicing Training pela FlightSafey, as operações de solo são desafiantes, dada a pressão do tempo e o congestionamento de rampa nas operações dos FBOs de hoje.

Aproximadamente 27.000 acidentes e incidentes de solo ocorrem anualmente em todo o mundo, resultando em feridos/acidentados e em custos consideráveis para o FBO e proprietário da aeronave.

"Não existe milagre para evitar que acidentes de ground handling aconteçam se a FBO não investir em treinamento de staff e equipamentos adequados de GSE. Na World-Way Aviation, combinamos os mais modernos equipamentos de GSE aprovado pelo fabricante da aeronave (OEM) com equipe de handling altamente treinada em nossas sofisticadas instalações, mitigando riscos e, ao mesmo tempo, posicionamos a frente do mercado brasileiro de FBO, onde a falta de profissionalismo e informalidade na procedimentos de handling de aeronaves, infelizmente, são um problema crônico ", diz Thiago You, gerente geral.


About Gulfstream Handling and Servicing Training

Incorporating Gulfstream-approved practices for ground handling and servicing, this course will assist you in identifying situations that might create a risk to you or the aircraft and offers guidance as to how you can reduce those risks and possibly prevent a ramp incident or accident.

Gulfstream and FlightSafety have co-developed this online course to provide you with what you need to know to safely provide handling and servicing support to Gulfstream G350, G450, G500, G550 and G650 aircraft operators.

The course covers all aspects of handling and servicing, starting with the aircraft's arrival at an FBO through to its departure, and reviews the following topics:

• Parking the Gulfstream Aircraft: parking the aircraft, dimensions, danger zones, and parking brakes;
• Gulfstream Aircraft Tour: covering main door entrance operations, aircraft probes, nose landing gear, main landing gear, EVS camera, wings and engines, aft equipment area;
• Fueling: preparation, necessary equipment, cautions and warnings, bonding, refueling procedure, accessing the adapter, inserting the PIP pin, connecting the nozzle, G550 hi-level warning indicator, pre-check of sensing valves, fueling the aircraft, completing the procedure;
• Towing and Mooring: preparation, necessary equipment, removal of safety devices (G450/G550), removal of G650 TPMS, cautions and warnings, connecting the tow bar, personnel, clearance requirements, securing of the aircraft doors, installing covers
• Water Servicing: external preparations, water service panel, servicing procedures;
• Lavatory Servicing: preparation, necessary equipment, lavatory service panel, cautions and warnings, water removal, rinsing the tank, completing the procedure;
• Window Cleaning: necessary equipment, window cleaning procedure;
• Snow and Ice Removal: preparation, necessary equipment, snow removal procedure, general deicing guidelines, Gulfstream deicing procedure.

 

 

07/07/2017

Avião da FAB transporta fígado para transplante em Sorocaba

Paciente com cirrose hepática recebeu órgão captado em Barretos na madrugada desta quinta-feira (6). Cirurgia feita em hospital particular é custeada pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Um homem de 63 anos foi submetido a um transplante de fígado na manhã desta quinta-feira (6), em Sorocaba (SP), graças a ajuda da Força Aérea Brasileira (FAB), que fez o transporte do órgão durante a madrugada.

O avião C-97 Brasília levou a equipe médica até Barretos, para a captação do fígado, e retornou ao aeroporto de Sorocaba às 2h55, de onde os especialistas partiram em uma ambulância direto a um hospital particular.

É a segunda vez que uma aeronave da FAB pousa na cidade trazendo esperança a uma família. Há quase um ano, uma equipe embarcou a Presidente Prudente para captar um fígado implantado em um homem, de 53 anos. O paciente morreu tempos depois de um problema cardiovascular.

Segundo o médico Renato Hidalgo, que lidera a equipe médica responsável pelo transplante, o paciente sorocabano - diagnosticado com cirrose hepática não alcoólica - ficou na fila à espera de um fígado por menos de um mês. O órgão foi doado pela família de um paciente que morreu após um AVC (Acidente Vascular Cerebral).

 “A FAB disponibiliza voos para casos em que a distância é muito grande, quando não há opção de voos comerciais - seja pelo horário ou trajeto-, e quando há maior urgência no retorno da equipe e do órgão para se iniciar o transplante", explica.

A cirurgia durou cerca de 3h30 e teve a participação de seis especialistas, entre cirurgiões, anestesista, enfermeiro e instrumentador. "Foi um sucesso, o órgão está funcionando e o paciente responde bem ao transplante. As primeiras 48 horas são importantes porque fazemos a avaliação inicial", conta Hidalgo.

Apesar de ser realizado em um hospital particular de Sorocaba, o transplante será custeado pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Ainda de acordo com o especialista, a cirurgia foi a 18ª realizada pela equipe desde março de 2016, quando o tratamento foi retomado no município.

O médico finaliza dizendo que o paciente transplantado terá acompanhamento para o resto da vida. "Inclusive vai tomar imunossupressores, medicamento que serve para evitar rejeição."

Segundo a FAB, desde que um decreto presidencial autorizou a participação das equipes no transporte de órgão, 275 viagens foram registradas.

 

Fonte: G1 - Sorocaba e Jundiaí (06/07/17)

05/07/2017

World-Way Aviation recebe reconhecimento da AIN 2017 FBO Survey

Seguindo os resultados da pesquisa desse ano, recebemos honrosamente a placa de reconhecimento da AIN 2017 FBO Survey, aonde a World-Way Aviation alcançou a melhor posição na classificação de FBO no Brasil e TOP 20% das melhores votações de FBOs das Américas.

A World-Way Aviation parabeniza e apoia a iniciativa da Aviation International News (AIN) em fornecer ferramentas de informações para as operadores através de um processo transparente para os clientes selecionarem o FBO de sua escolha.

Com essa conquista, agradecemos a equipe, clientes, parceiros, investidores e amigos da World-Way Aviation por seu contínuo apoio e continuaremos nossos esforços e compromisso para elevar o padrão de serviços FBO no Brasil.

 

 

 

28/04/2017

Indústria da aviação deve ser incentivada em Sorocaba

A Prefeitura de Sorocaba, a partir da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Renda, irá avaliar as possibilidades de atração de investimentos e negócios voltados ao ramo da aviação para o município.

Em reunião realizada na manhã desta quarta-feira (26) o Conselho de Desenvolvimento Econômico de Sorocaba aprovou proposta para avaliação de potencialidade da cidade para o segmento da aviação e a determinação de estudo para captação de investimentos e a possibilidade da administração pública – a partir da Secretaria de Desenvolvimento Econômico- buscar a instalação de cursos técnicos e superiores para o segmento da aviação civil e comercial nas instituições de ensino instaladas no município. Além disso, o Secretário de Desenvolvimento Econômico de Sorocaba, Roberto Freitas, irá mapear empresas do setor e que podem se instalar na cidade a curto e médio prazo.

“A cidade apresenta condições para se tornar um grande núcleo de negócios e produtos voltados à aviação; nosso aeroporto está recebendo uma nova torre de controle e tem condições de ser internacionalizado rapidamente, além disto, temos potencial a explorar a partir do Parque Tecnológico de Sorocaba e mão de obra qualificada”, disse Roberto Freitas.

O aeroporto estadual Bertram Luiz Leupolz, localizado na zona norte da cidade, é um dos mais importantes centros de manutenção de aeronaves do mundo e foi utilizado, até recentemente, por companhias tradicionais de aviação para operações de rotas comerciais. A Secretaria de Desenvolvimento Econômico aponta também que há mão de obra qualificada na cidade e que poderá ser rapidamente absorvida por empresas que eventualmente se instalarem em Sorocaba.


Fonte: SorocabaFácil (27/04/17)

12/04/2017

AIN FBO Survey 2017 — WWA conquista 1º lugar!

A World-Way Aviation tem o prazer de anunciar os resultados da pesquisa 2017 AIN FBO Survey, tendo a WWA alcançado a posição como melhor classificação de FBO no Brasil e 31ª entre as Américas.

Agradecemos a todos os colaboradores, clientes, parceiros, investidores e amigos da World-Way Aviation pelo seu apoio contínuo, desde que o projeto foi lançado em 2012 ao início de operações em 2016.

Este foi um resultado natural de reconhecimento pelo mercado da nossa missão principal em melhorar a segurança em operação de ground handling e atendimento ao cliente, seguindo as mesmas qualidades e padrões dos melhores FBOs do mundo.

Com essa conquista, comprometemo-nos a continuar nossos esforços e compromisso de elevar o patamar para os serviços de FBO no Brasil.

Para saber mais sobre os resultados da AIN FBO Survey, clique aqui.

Fonte: AIN Online

 

07/04/2017

Estado confirma entrega de nova torre do aeroporto de Sorocaba

O Departamento Aeroviário do Estado de São Paulo (DAESP), a partir de ofício assinado pelo Superintendente Ricardo Rodrigues Barbosa Volpi, encaminhado à Prefeitura de Sorocaba por meio do secretário de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Renda Roberto Freitas e ao deputado estadual Carlos Cezar, destacou o andamento das obras que o órgão vem realizando no Aeroporto Bertram Luiz Leupolz.

Conforme anunciado anteriormente pelo secretário Roberto Freitas, entusiasta da modernização e internacionalização do aeroporto local, o DAESP está concluindo a implantação de uma TWR, ou seja, Torre de Controle para a segurança da navegação aérea. A nova torre irá possibilitar a expansão do aeroporto que já está próximo de atingir a sua capacidade operacional. A ação deve gerar condições para a internacionalização do aeroporto que já é um dos núcleos de manutenção aeronáutica mais importantes do mundo.

Conforme o DAESP, em até três meses serão concluídas as obras de infraestrutura e edificações da torre, com investimentos na ordem de R$ 13.8 milhões. Em paralelo à construção da nova estrutura, o governo do Estado está preparando o termo de referência para a licitação de equipamentos de navegação aérea para equipar a torre. O DAESP informou que os recursos para equipar a torre estão projetados em R$ 7,3 milhões e serão oriundos de verbas federais do Programa de Investimento em Logística (PIL).

O secretário Roberto Freitas tem como projeto a expansão do aeroporto local a partir da internacionalização e a atração de novos investimentos com esse processo: “vamos atrair mais empresas de manutenção e negócios que girem em torno da aviação civil e comercial, além de projetos que estamos discutindo para transformar Sorocaba num dos maiores centros de negócios da aviação na América do Sul”.


Fonte: Prefeitura de Sorocaba (30/03/17)

30/03/2017

Primeiro brasileiro a obter o certificado de gestor de aviação (CAM) da NBAA

O mercado brasileiro de aviação executiva obteve mais um ganho, com o ingresso no seleto grupo de profissionais da aviação certificado pela National Business Aviation Association (NBAA).

Nós parabenizamos o Comandante André Danita, pela conquista da certificação CAM. O programa Certified Aviation Manager (CAM) busca credenciar gestores da aviação executiva com as melhores práticas do mercado, identificando profissionais qualificados para liderarem departamentos de voo e empresas que fazem uso da aviação executiva. Através de um processo criterioso, o candidato é avaliado com base em suas habilidades pessoais, experiência, conhecimento e testes.

Saiba mais em www.nbaa.org/prodev/cam/


Fonte: NBAA (28/03/17)

14/02/2017

Aeroporto local tem maior número de passageiros

O aeroporto Bertram Luiz Leupolz, de Sorocaba, é o de maior número de passageiros em voos não regulares em 2016 entre os 26 administrados pelo Departamento Aeroviário do Estado de São Paulo (Daesp). Foram 51.547 pessoas ao longo dos 12 meses do ano passado. Nesse período, ocorreram 53.470 pousos e decolagens, número que abrange também os chamados voos de trânsito, estes realizados em menor quantidade. Em média, foram 146 operações por dia em 2016.

Apesar da "liderança" no quesito voos não regulares, na comparação com 2015 o ano passado registrou uma queda de quase 5% no número de passageiros. Isso porque em 2015 foram 54.200 a passar pelo aeroporto local. Ainda assim, se comparado com 2014, os dois últimos anos ostentam um número significativamente mais expressivo, já que naquele ano o número de passageiros nos voos não regulares pela cidade foi de 42.207.

Os voos não regulares são aqueles que não seguem uma programação comum de aeroporto, com linhas e horários pré-determinados. No total de operações aéreas no aeroporto de Sorocaba, entre pousos e decolagens, o cenário é de diminuição entre os dois últimos anos. Enquanto em 2015 foram totalizadas 64.846 operações, o número caiu para pouco mais de 53 mil, uma diferença de mais de 8 mil procedimentos.

O aeroporto Bertram Luiz Leupolz não realiza voos regulares e concentra suas atividades na aviação executiva e na manutenção de aeronaves. Apesar de não contar com voos regulares, o aeroporto possui um terminal para essa finalidade.


Em obras

A construção da torre de controle do aeroporto de Sorocaba sofreu um atraso nas obras e deverá concluir sua primeira etapa no mês que vem. A previsão inicial era de que esta parte fosse finalizada em setembro do ano passado. Ainda assim, o Daesp mantém a previsão de licitar e instalar os equipamentos na torre (que consiste na segunda fase da obra) até o fim do primeiro semestre de 2017.

Somente com a construção, que segue em andamento, foram investidos R$ 13,8 milhões na torre de controle. De acordo com o órgão, que é ligado à Secretaria Estadual de Logística e Transportes, a torre proporcionará maior segurança de voo no aeroporto de Sorocaba, que é o principal voltado à aviação geral no interior paulista.


Fonte: Jornal Cruzeiro do Sul (13/02/17)

20/01/2017

Ministro recomenda a internacionalização do aeroporto de Sorocaba

O Ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira, enviou documento ao ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, em que destaca a importância e a necessidade da internacionalização do aeroporto de Sorocaba para as empresas e o desenvolvimento da Região Metropolitana (RMS).

No documento, ao qual a coluna teve acesso, o ministro destaca a visita que fez no dia 27 de setembro do ano passado, ocasião em que conheceu o aeroporto e se reuniu com empresários e o então secretário de Desenvolvimento Econômico de Sorocaba, Geraldo Almeida. Na época, constatou gargalos para voos internacionais de aviação geral (executiva e táxis aéreos), sendo que os já existentes em São Paulo possuem, ainda segundo ele, restrições técnicas que dificultam o uso por esse tipo de aviação.

Ainda no documento, o ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira, afirma que o aeroporto de Sorocaba, além da proximidade com a capital do Estado, tem desenvolvido a infraestrutura de modo a preencher os requisitos para a internacionalização. Marcos Pereira disse ter ciência de que as regras para a designação dos aeroportos internacionais brasileiros são definidas pela Agência Nacional de Aviação Civil, mas lembra que esse processo passa por outros órgãos e instituições, como a Receita Federal e o Departamento de Polícia Federal.
 

Fonte: Jornal Cruzeiro do Sul (20/01/17)

23/12/2016

Boas Festas!

08/11/2016

AIN FBO Survey — Vote pela World-Way Aviation!

As votações para melhor FBO no site da AIN já começaram.
Clique aqui para acessar o site e deixe seu voto para o melhor FBO no Brasil: a World-Way Aviation (SDCO)!

Não é cadastrado na AIN?
Para votar, é necessário possuir uma conta no site.
Clique aqui e tenha acesso às votações, além das novidades e a área exclusiva da AIN online.

08/09/2016

Região de Sorocaba é a 16ª mais populosa do Brasil

A Região Metropolitana de Sorocaba (RMS), composta por 27 municípios, soma 2.066.986 habitantes. Segundo estimativas populacionais divulgadas pelo IBGE, a RMS ocupa a 16ª posição na lista das regiões metropolitanas mais populosas, no entanto, esse ranking não leva em conta a entrada de Itapetininga. Isso porque, embora os dados divulgados sejam referentes a junho de 2016, mesmo mês em que Itapetininga passou a integrar a região metropolitana, só foram levados em conta para as estimativas os municípios inseridos nas regiões até dezembro de 2015.

Segundo divulgou o IBGE, a RMS, sem Itapetininga, possui 1.908.425 habitantes, 20.351 a mais que a estimativa de 2015. Com Itapetininga inserida, a RMS passa de 16ª para 15ª região mais populosa do Brasil, superando a Região Metropolitana de Grande Vitória, que tem, segundo o órgão, 1.935.483 habitantes. A RMS também aparece como a 4ª maior do Estado, ficando atrás apenas da Grande São Paulo (21.242.939), Região Metropolitana de Campinas (3.131.528) e Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte (2.475.879).

As cidades com maior índice de crescimento populacional no comparativo ao último Censo Demográfico, realizado em 2010, foram Iperó (20,6%), Araçariguama (20,4%), Boituva (17,6%), Araçoiaba da Serra (16,9%), Cerquilho (15,9%) e Jumirim (14%). Entre os municípios com menores índices de crescimento, o destaque ficou por conta de Tapiraí, que entre 2010 e 2016, segundo o IBGE, teve redução de dois habitantes, passando de 8.012 para 8.010. Outros municípios com baixo índice de crescimento foram São Miguel Arcanjo (4,4%), Piedade (5,3%), Porto Feliz (7,9%) e Ibiúna (8,1%).

O economista e titular da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho de Sorocaba, Geraldo Almeida, destaca que o crescimento populacional da RMS reforça o plano integrado de logística, pois indica a necessidade de um aeroporto comercial. "São todos potenciais usuários desse aeroporto. Também se beneficiam os shoppings e o comércio em geral." A ampla região, afirma Almeida, deve atrair universidades e indústrias. Ele também lembra que as estimativas são parâmetros utilizados pelo Tribunal de Contas da União (TCU) na distribuição do Fundo de Participação de Estados e Municípios. Sobre Itapetininga, o secretário destaca que o município possui uma bacia leiteira economicamente forte, que leva desenvolvimento para o sul do Estado, além de beneficiar os outros 26 membros da RMS.

As estimativas da população residente para os municípios brasileiros, realizadas pelo IBGE, foram elaboradas a partir da projeção para cada estado. A esses dados são incorporados os resultados dos parâmetros demográficos calculados com base nos resultados do Censo 2010 e nas informações mais recentes dos registros de nascimentos e óbitos de cada município. Os números são atualizados anualmente e são utilizados oficialmente para o cálculo de indicadores econômicos e sociodemográficos nos períodos intercensitários.

 

Fonte: Jornal Cruzeiro do Sul (08/09/16)

01/09/2016

Brasil delineia lista prioritária de Aeroportos Regionais

Antes da sessão geral de abertura da LABACE 2016 no dia 30 de agosto, o Secretário de Aviação Civil Dario Lopes explicou à AIN as mudanças no programa governamental de aeroportos regionais anunciadas na semana passada. Aparentemente, o ministério selecionou 176 aeroportos como sua lista de prioridades, então os ranqueou de acordo com fatores como receita e lucro/prejuízo (para aqueles não operantes, foram simuladas receitas possíveis). “Quanto menor o prejuízo, melhor,” disse Lopes.

Outro fator era “a área que o aeroporto serve, e a prioridade dada a ele tanto pelas linhas aéreas quanto pela aviação geral,” disse Lopes. Os 53 aeroportos indicados como prioridades, ele disse, cobrem 80% das prioridades apontadas pelas linhas aéreas e pela ABAG. A região amazônica recebeu um maior enfoque, e cada estado também recebeu pelo menos um projeto, com poucas exceções. Lopes também disse que a realização da torre de controle de Sorocaba era uma grande prioridade.

Quando foi indagado sobre a possibilidade de novas tecnologias como navegação por satélite e torres remotas tornarem aeroportos regionais mais econômicos, ele imediatamente observou que o SAC está aguardando a aprovação da DECEA para implementar estações meteorológicas remotas. “Isso nos permitiria conseguir METARs (METeorological Aerodrome Reports) sem precisar colocar pessoas lá,” ele disse. Uma torre remota está atualmente em fase de testes no aeroporto de Matão.

Após a abertura formal, Lopes respondeu a uma pergunta de um repórter da região amazônica sobre internacionalizar aeroportos, especialmente aquele de Porto Velho, uma iniciativa solicitada pela IATA para ter um aeroporto alternativo aprovado na região, e também foi um pedido dos presidentes da Bolívia e Peru. Lopes constatou que é uma medida que vai muito além de simplesmente declarar aeroportos como internacionais; tem de haver uma presença constante de alfândega, imigração e outro pessoal, por exemplo. A consciência não só dos custos de construção mas também de custos operacionais, pode representar uma avanço para o Brasil, que está aterrado de estádios em desuso da Copa do Mundo de 2014, e está se recuperando de um escândalo de corrupção que emanou de contratos de construção duvidosos.

 

Fonte: AIN Online (31/08/16)

31/08/2016

Equipamentos para Torre de Sorocaba são apoiadas pelo Programa de Aviação Regional

O Programa de Aviação Regional deve exigir investimentos de R$ 2,4 bilhões somente em sua 1ª etapa, disse o secretário de aviação do Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Dario Lopes, ao comentar sobre o plano que, em sua fase inicial, deve favorecer 53 aeroportos de um total de 176 selecionados.

Em discurso durante a cerimônia de abertura da 13ª edição da LABACE, considerada a principal feira de aviação executiva da América Latina, Lopes comentou que o governo deve dar início ainda neste ano aos processos relacionados ao programa de aviação regional, permitindo “um conjunto de melhorias que consolida a atividade de aviação geral”. Posteriormente, ele explicou a jornalistas que não existe uma estratégia única para o programa: em alguns casos será feito o repasse de recursos para Infraero ou para Estados responsáveis pelos aeroportos, em outros serão realizadas licitações.

Ainda este ano, o ministério pretende repassar entre R$ 30 milhões e R$ 50 milhões para Estados e para a Infraero realizarem alguns dos investimentos. Entre eles, Lopes citou o repasse para o Estado de São Paulo realizar a compra de equipamentos para a torre de controle do aeroporto de Sorocaba e o repasse para a Infraero investir em aeroportos como Imperatriz e Marabá.

Dado o cronograma de licitação e a possibilidade de recursos ao longo do processo, Lopes disse não ser possível garantir que alguma obra possa ser iniciada ainda em 2016. No ano que vem, os investimentos devem chegar a R$ 300 milhões ou R$ 400 milhões, disse Lopes. Os maiores montantes, no entanto, devem ser desembolsados entre 2018 e 2019, chegando possivelmente a R$ 800 milhões, acrescentou.

De acordo com o secretário, os recursos virão do Fundo Nacional da Aviação Civil (FNAC), que já conta com cerca de R$ 5,5 bilhões, provenientes das outorgas dos aeroportos privatizados. Esse montante está atualmente contingenciado. “Em 2018, ou (os recursos) vêm do Tesouro ou vêm do FNAC”, acrescentou. “A nossa expectativa é de fazer as obras, mas a Fazenda tem suas razões”, disse.

 

Fonte: IstoÉ Economia (30/08/16)

25/08/2016

Aeroporto de Sorocaba continua no programa de investimento federal

O governo do presidente interino, Michel Temer, decidiu cortar drasticamente o programa de investimentos federais em aviação regional lançado pela presidente afastada, Dilma Rousseff, reduzindo de 270 para 53 o número de aeroportos que passarão por obras de ampliação a partir do próximo ano. "Chegamos à conclusão de que não seriam necessários 270 aeroportos para iniciar um programa realista que atenda aos Estados, à demanda e às empresas", disse à Folha o ministro Maurício Quintella Lessa.

O plano de desenvolvimento da aviação regional foi lançado no fim de 2012 pelo governo petista. A presidente Dilma chegou a avaliar a possibilidade de fazer investimentos em cerca de 800 pequenos e médios aeroportos, mas acabou reduzindo a lista inicial para 270 unidades. O investimento estimado na época era de R$ 7,3 bilhões, mas quase nada saiu do papel nestes 4 anos. Segundo Quintella, a nova lista é "bem mais realista" e adequada à situação financeira do governo federal. Serão necessários R$ 2,4 bilhões para os investimentos previstos nos 53 aeroportos até 2020. Quintella diz ter assegurado, até o momento, metade desse dinheiro, o que que representará desembolso anual de R$ 300 milhões.

Além dos 53 aeroportos, o governo terá uma lista de outras 123 unidades que poderão receber investimentos à medida que a situação econômica melhorar ou se os Estados assumirem os projetos. Em São Paulo, por exemplo, havia a previsão de investir em 19 aeroportos regionais. Agora, serão apenas 2, em Sorocaba e no Guarujá. Outros 6 já foram repassados ao governo estadual para que sejam feitas concessões.

Além da falta de dinheiro, a lista de aeroportos foi reduzida porque 94 projetos foram considerados inviáveis. Ficavam perto de aeroportos já em operação, estavam previstos para locais inadequados, como áreas de preservação, ou não havia demanda.

Dos aeroportos que vão receber investimentos, 27 já recebem voos atualmente. Outros 11 estão numa lista que a Associação das Empresas Aéreas publicou em 2012 pedindo prioridade para injeção de recursos por causa do potencial de demanda. Segundo o ministro, a escolha dos aeroportos se deu em acordo com os Estados, bancadas no Congresso e companhias aéreas. O ministro afirmou ainda que o governo exigirá que as cidades apresentem, na assinatura dos contratos, garantias de que leis locais irão preservar as áreas ao redor dos aeroportos para evitar tornar inviável no futuro o uso dos terminais por causa de construções inadequadas.

Além disso, está em estudo uma parceria com o Sebrae para qualificar gestores, para que eles tenham noções sobre como conseguir empreendimentos para manter a rentabilidade das unidades, já que em geral eles não se sustentam apenas com receitas de tarifas aeroportuárias. "É necessário buscar fontes de receitas compatíveis com a operação", afirmou Dário Rais, secretário de Aviação Civil do ministério. O ministro Quintella disse ainda que o governo definirá em breve o sistema de subsídios das passagens aéreas regionais, mecanismo que dará sustentação ao programa. A prioridade será subsidiar passagens na região Amazônica, como estabelecido em lei.

 

Fonte: Folha de S. Paulo (24/08/16)

01/08/2016

Ministro fala em internacionalizar aeroporto

O titular do ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira, demonstrou interesse em internacionalizar o aeroporto Bertram Luiz Leupolz (SDCO), em Sorocaba. Durante visita à cidade, ocorrida na sexta-feira (29/07), o representante do governo federal prometeu se empenhar para conseguir as melhorias. Segundo ele, o local é um dos mais expressivos em relação à concentração de empresas internacionais de manutenção de aeronaves executivas.

Pereira preferiu não divulgar prazos, mas ressaltou que Sorocaba suporta um aeroporto para voos internacionais. O ministro disse ainda que receberá o titular da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho de Sorocaba, Geraldo Almeida, para analisar o projeto de expansão e necessidades para a internacionalização.

A passagem do ministro por Sorocaba teve início pela manhã. Por volta das 10h, Pereira visitou as instalações do centro de serviços para jatos executivos no Brasil da Embraer, no aeroporto Bertram Luiz Leupolz. Na sequência, esteve no Instituto de Tecnologia situado na Flex e, no local, participou de um almoço com representantes da indústria.

No período da tarde, o ministro compareceu à empresa Tecsis, na zona industrial de Sorocaba, e logo em seguida foi recebido pelo prefeito Antonio Carlos Pannunzio no Paço Municipal. Depois, participou de um encontro no Centro das Indústrias do Estado de São Paulo. No local, ouviu de empresários assuntos relacionados à crise econômica e ao desaquecimento da indústria.

 

Fonte: Jornal Cruzeiro do Sul (29/07/16)

28/07/2016

RJ terá espaço aéreo restrito nas áreas de competição

Entre os dias 24/07 a 22/08, nenhuma aeronave que não seja de segurança pública, militar, de transporte de chefes de Estado, socorro médico ou mídia oficial da Olimpíada poderá voar num raio de 7,2 quilômetros das áreas de competição do Rio.

A Força Aérea criou o perímetro para monitorar e restringir o espaço aéreo da cidade durante os Jogos. A restrição, no entanto, não resultará em fechamento dos aeroportos do Rio. Galeão e Santos Dumont foram excluídos das zonas de maior restrição para que pudessem operar durante os Jogos. Por conta disso, o aeroporto será fechado para pousos e decolagens entre 12h40 e 17h10, do 8 ao 18 de agosto. A Anac afirmou que as restrições foram informadas às companhias aéreas e que os passageiros não serão afetados, pois os voos já foram reprogramados.

Helicópteros e aviões de turismo, aeronaves de treinamento, asas-deltas, parapentes, ultraleves, balões e drones estão proibidos de circular no perímetro restrito. O modelo, semelhante ao utilizado na Copa de 2014, dividiu a capital em cinco áreas: Barra, Copacabana, Maracanã, Engenho de Dentro e Deodoro. Em caso de invasão do espaço aéreo, a Aeronáutica segue um protocolo de engajamento gradativo: tem autoridade para abordar a aeronave, escoltá-la com caças até a saída da área restrita e até exigir o pouso do equipamento que estiver irregular.

Caso o piloto se recuse a cumprir as ordens, os militares podem, com a autorização do comandante da Aeronáutica, abater a aeronave. "99% das ações que precedem a destruição da aeronave dão resultado. Tivemos casos na Copa, mas nenhum que tenha chegado a última instância", disse o major-brigadeiro do ar Mário Luis da Silva Jordão, comandante do Comdabra. A norma só não valerá totalmente para drones de pequeno porte. O uso deles também está proibido, mas, como não é possível contatar por rádio o controlador da aeronave, tampouco abatê-la com armamento militar, a Aeronáutica utilizará um equipamento que interfere no sistema de controle do drone.

O espaço aéreo do Rio funcionará com restrições num raio de até 100 km dos locais de competição. Ele será fechado cerca de 2h antes de competições. Como haverá provas todos os dias e em horários diversos, na prática, o espaço ficará totalmente fechado na maior parte dos dias.

 

 

Fonte: Folha de S. Paulo (14/07/16)

15/07/2016

Sorocaba recebe pela primeira vez órgão transportado pela FAB

"Um homem de 56 anos será submetido, pela 2ª vez, a um transplante de fígado em Sorocaba. O órgão, retirado do corpo de um jovem morto em um acidente de trânsito em Alvares Machado (SP), foi implantado no corpo do paciente no dia 12/07/16. Esta é a primeira vez que um órgão chega ao município transportado por um avião da Força Aérea Brasileira.

De acordo com a Força Aérea, desde o decreto presidencial, 22 transportes de órgãos já foram realizados pela FAB. Nesta missão, foi utilizada uma aeronave de médio porte – C97 Brasília. A equipe que acompanhou a missão é formada por um piloto, um co-piloto, um mecânico e um comissário, além da equipe médica. Ainda segundo a FAB, o avião partiu do aeroporto do Galeão - RJ, foi para o aeroporto de Guarulhos - SP e lá embarcou a equipe médica. Em seguida, pousou em Presidente Prudente - SP, onde pegou o fígado e seguiu para o aeroporto de Sorocaba.

O cirurgião de transplante de fígado Renato Hidalgo, que esteve à frente do procedimento, afirma ao G1 que o paciente – natural de Rondônia – é vítima de cirrose hepática causada por hepatite C e tem boas chances de recuperação. "Da primeira vez, o órgão já funcionou. Mas não da maneira como esperávamos. Não houve uma rejeição, por exemplo. Acreditamos que desta vez o resultado será melhor." O procedimento será realizado em um hospital particular, mas será custeado pelo Sistema Único de Saúde. O médico lembra que essa decisão se deve a infraestrutura do local, que entre 2003 e 2010 realizou 70 transplantes. "Houve uma pausa nesses procedimentos porque aconteceram mudanças estruturais e na equipe, coisas normais."

Para Hidalgo, a realização do procedimento só é possível por meio da junção de uma série de profissionais. "A família tem o ato de coragem ao optar pela doação e o transplante envolve muita gente. São cirurgiões, enfermeiros, fisioterapeutas, enfim. Sem eles, não seria possível nada disso", destaca. Após mais de 4h de cirurgia, o processo foi concluído na noite desta terça-feira (12). O quadro do paciente na quarta-feira (13) foi considerado estável, com boa evolução, mas ainda sob sedação.

Sorocaba se tornou referência para transplante de fígado. De março até julho de 2016, já foram feitos oito; todos pelo SUS. O especialista explica que Rondônia é um dos Estados do Brasil que não têm ainda uma equipe que faz transplantes de fígado. "Hoje, Rondônia já tem pessoas que estão desenvolvendo essa atividade lá, mas ainda não conseguiram concretizar. Os pacientes desses lugares procuram centros que passa transplante, porque não existe uma rede de referenciamento específica para isso, como ocorre em outras doenças. No caso transplante de fígado, o paciente ou quem cuida do paciente, conhece os centros transplantadores que podem ser capaz de ter sucesso e encaminha os pacientes", completa o médico."

 

Publicado em: G1 - Sorocaba e Jundiaí (12/07/16)

02/06/2016

Sorocaba vira referência em manutenção de aviões e busca atrair cliente estrangeiro

Dos 60 mil aviões que aterrissaram em 2015 no Aeroporto Bertram Luiz Leupolz, em Sorocaba, pelo menos 40 mil não levantaram voo no mesmo dia. De monomotores a jatos de longo curso, essas aeronaves permaneceram em terra, em hangares e oficinas das 34 empresas da cidade credenciadas pela ANAC para manutenção e reparo. Há ainda outras 18 de apoio e suporte ao setor. Juntas, somam 1,2 mil empregos diretos, a maioria de nível técnico ou superior.

Instaladas nos arredores da pista de pouso, elas formam uma das maiores concentrações de serviços para aviação do país. No polo aeronáutico de Sorocaba, estão centros de serviços de grandes companhias da aviação mundial, como Embraer, Pratt&Witney, Bombardier e Dassault-Breguet. Por ser uma boa opção para posicionamento temporário das aeronaves, Sorocaba passou a ser conhecida no meio aeronáutico como a “cidade-dormitório” dos aviões privados. “Já somos o maior polo de aviação executiva da América do Sul”, diz Ari Bordieri Junior, presidente da Associação dos Operadores do Aeroporto de Sorocaba.

No mês passado, a Federal Aviation Administration, autoridade aeronáutica dos EUA, emitiu certificado de aprovação do centro de serviços da Embraer para manutenção de todos os jatos executivos da companhia com registro de operação americana. Certificação semelhante havia sido emitida pela Agência Europeia para a Segurança da Aviação (Easa). Com isso, a unidade de Sorocaba passa a fazer parte de um grupo restrito de oficinas de manutenção e reparos na América Latina certificados para atender os jatos executivos da Embraer com matrícula nacional ou estrangeira, em passagem pelo País.

Outras empresas, como a Dassault-Breguet, já possuem as mesmas certificações e, como a Embraer, estão na expectativa das aeronaves de matrícula internacional que virão para o Brasil durante a Olimpíada. “Em razão das restrições de operação dos principais aeroportos do Rio de Janeiro e São Paulo, Sorocaba será uma das principais opções para a ‘hangaragem’ temporária de aviões privados”, diz Bordieri.

No caso da Embraer, as instalações no aeroporto somam 20 mil m² de hangares, oficinas e serviços para jatos das famílias Phenom, Legacy e Lineage, incluindo áreas VIP para tripulação e passageiros. No total, até 40 jatos podem ser atendidos simultaneamente. Atualmente, há mais de 200 jatos executivos da Embraer na América do Sul que podem utilizar Sorocaba ou outros 6 centros de serviços na região. No mundo, são mais de mil aeronaves executivas da companhia, 70% delas registradas nos EUA e na Europa.

Até o ano passado, o centro de serviços de Sorocaba era restrito à manutenção de aviões de matrícula nacional, da América do Sul, principalmente Argentina, Paraguai, Chile e Colômbia, e de alguns países da América Central. Mesmo assim, mais de 650 atendimentos foram realizados, entre manutenção, reparo e serviços aeroportuários.

“Com a validação internacional, a expectativa é de aumento na demanda. Autoridades estrangeiras visitaram as instalações e avaliaram itens como capacitação dos profissionais, ferramentas e equipamentos”, informou Ricardo Santos, da área de comunicação. O centro Embraer tem cerca de 200 funcionários e está ampliando o leque de serviços, o que já resultou em contratações. Já o centro de serviços Dassault, mais conhecido como “Falcon do Brasil”, está instalado desde 2009 numa área de 2,1 mil m² e pode atender até 4 aviões ao mesmo tempo.

O diretor da Master Serviços Aeronáuticos, Marcos Valdir Dias, lembra que o Brasil tem a 2ª maior frota de aviões do mundo, atrás apenas dos EUA, e todos têm de fazer manutenção periódica. “No Brasil, são mais de 15 mil aviões leves e médios que procuram Sorocaba porque fazemos todos os tipos de manutenção, desde motores, até pinturas e reparos após acidentes.”

O crescimento desse mercado atraiu para a cidade escolas para pilotos e técnicos, como a Wings Aviação Civil. “Só 2 aeroportos no mundo reúnem essa quantidade de empresas e uma gama tão variada de serviços: o de Le Bourget, em Paris, e o de Sorocaba”, diz o professor Carlos Alberto Tavares, diretor da Wings. Entre os cursos mais procurados está o de mecânico de manutenção aeronáutica, com duração de 2 anos.

Com o polo consolidado, o próximo passo será internacionalizar o aeroporto de Sorocaba para reduzir a limitação aos voos executivos procedentes do exterior, explica Bordieri Junior.

Como as aeronaves são obrigadas a entrar ou sair do país por aeroportos internacionais, elas não podem se dirigir diretamente ao terminal de Sorocaba, que não tem esse status, e têm de passar pelos aeroportos de Campinas, Guarulhos, Belo Horizonte ou Curitiba, que não dão prioridade à aviação executiva. “No momento em que houver a internacionalização, nosso movimento dobra”, diz.

Segundo ele, grandes multinacionais passarão a deixar os aviões na cidade e poderão decolar direto de Sorocaba. Para ser internacional, o aeroporto precisa atender as formalidades da alfândega, da polícia de fronteira e de vigilância agropecuária. O processo de Sorocaba já teve anuência do Ministério da Agricultura e Pecuária, da Anvisa e da Polícia Federal, mas parou na Receita Federal, que alega falta de pessoal.

A parte técnica avança com a mudança de categoria do terminal. A Daesp encaminhou pedido de homologação da ampliação da pista, de 1,4 mil para 1,6 mil metros de extensão, ao Decea. A torre de controle, necessária para a operação por instrumentos, deve ficar pronta no primeiro semestre de 2017. O Estado prepara licitação para os equipamentos e contratação de pessoal. Segundo Bordieri, com a operação da torre, o movimento cresce de 40% a 50%. “As seguradoras de multinacionais que trabalham com aeronaves caras, entre US$ 30 milhões e US$ 80 milhões, não permitem que usem aeroportos não controlados.”

 
Fonte: O Estado de S. Paulo (02/06/2016)

27/04/2016

WWA está localizada no maior centro de manutenção para aeronaves do Estado de SP

Convenientemente localizado no Aeroporto Executivo de Sorocaba, a localização faz da World-Way Aviation ser a melhor porta de entrada para usuários da aviação executiva que procuram evitar as restrições e inflexibilidade dos aeroportos de São Paulo.

O Aeroporto Estadual Bertram Luiz Leupolz registrou no 1º trimestre deste ano um aumento significativo para os voos executivos e de táxi aéreo. Em um comparativo feito pela Daesp, o fluxo foi 7,2% maior em relação ao mesmo período do ano anterior, que contou 11,8 mil usuários para 12,7 mil em 2016. Só no ano de 2015, cerca de 54 mil passageiros foram recebidos no aeroporto.

O Aeroporto de Sorocaba está entre os primeiros aeroportos que mais recebem embarques e desembarques de aviação executiva e táxi aéreo, contando com oficinas de mecânica e eletroeletrônica e sendo o maior centro de manutenção do Estado de São Paulo.
 

 
Dados: Daesp
Adaptado de: G1 Sorocaba (26/04/2016)

22/04/2016

O voo olímpico da Dassault

Como a fabricante francesa de aviões executivos prepara uma operação especial para apoiar os quase 200 empresários donos de jatos de sua marca que chegarão ao Rio de Janeiro para os Jogos.


O tráfego aéreo na Baía de Guanabara, em 5 de agosto deste ano, será intenso. Apenas no dia da cerimônia de abertura da Olimpíada do Rio de Janeiro, estima-se a chegada de até mil jatos particulares na Cidade Maravilhosa. Nos dias anteriores e posteriores ao evento, a movimentação também deve ser fora da usual. A maior parte dos passageiros de voos particulares em visita aos Jogos deve ser composta por empresários e executivos, além de parceiros, amigos e familiares – apesar de que, no primeiro dia de evento, a presença de políticos e chefes de estado deve ser especialmente alta.

Para que nenhum figurão fique impossibilitado de chegar a tempo dos Jogos, os aeroportos e autoridades aeroviárias brasileiras poderão contar com uma ajuda importante da iniciativa privada. A francesa Dassault Aviation, fabricante da linha de jatos executivos de grande porte Falcon, que custam entre US$ 28 milhões e um pouco mais de US$ 50 milhões, terá uma operação especial no Brasil, por conta do maior evento esportivo do planeta. “Muitos empresários donos de nossos jatos virão para a Olimpíada”, afirma Rodrigo Pessoa, que pilota as operações na América Latina.

A empresa possui em Sorocaba, no interior paulista, um centro de serviços. Montado em 2009, foi o primeiro da empresa fora de seus países-sede, a França, casa do grupo controlador Dassault, e os EUA, do grupo Airbus, que detém 24% das ações. Nas instalações brasileiras, os donos de aeronaves da Dassault – que, no ano passado, faturou globalmente € 3,7 bilhões – podem fazer manutenções periódicas e os consertos necessários. Para a Olimpíada, o centro receberá um reforço de técnicos estrangeiros e de equipamentos, para dar conta da demanda extraordinária.

A estimativa é que entre 150 e 200 jatos da marca cheguem para a Olimpíada. Além deles, há 50 Falcons que costumam voar em território nacional, por terem donos brasileiros. A companhia estima deter 60% do mercado local de aeronaves executivas de grande porte. “Acredito que os estrangeiros utilizarão o centro nacional apenas para reparos e para consertar falhas, já que fazem a manutenção programada em outros países”, diz Pessoa. O esforço especial para a Olimpíada já exigiu mudanças na forma dos aeroportos operarem.

A Secretaria de Aviação Civil definiu que o Aeroporto Santos Dumont, no centro da cidade, vai operar 24 horas por dia, entre os dia 3 e 23 de agosto. Os voos comerciais terão horário estendido, entre às 6h e 23h59. Atualmente, as decolagens e chegadas terminam às 22h30. Já os aviões executivos e táxis aéreos, o transporte preferido dos bilionários, estarão autorizados a operar entre às 22h30 e às 6h. Quem vier de outro país também terá uma preocupação a mais: onde “estacionar” a sua máquina voadora. O Aeroporto Internacional do Galeão deve abrigar grande parte delas, num sistema de hangar a céu aberto.

“Será o maior evento da história da aviação executiva brasileira”, afirma Francisco Lyra, dono da administradora de aviões particulares CFly Aviation. “Para a imagem do Brasil, será muito importante tudo funcionar, porque tratamos com formadores de opinião importantíssimos.” Mas nem todos os jatos terão espaço no Rio de Janeiro. Por isso, a localização do centro de manutenção da Dassault em Sorocaba é estratégica. O aeroporto da cidade paulista deve receber outra parte dos jatos enquanto os seus donos acompanham a disputa por medalhas.

“É melhor levar o avião para lá do que fazer o piloto voar de volta para os EUA, por exemplo”, diz Pessoa. O agito para a Dassault vem em boa hora. Depois de 15 anos de mercado aquecido, o que tornou o Brasil um dos países mais quentes para a aviação executiva no mundo, as vendas em 2016 estão congeladas. “O período entre 2007 e 2008 foi excepcional”, diz o executivo. “Vendemos mais de 20 aeronaves em dois anos.”

A média desde a virada do milênio, para a empresa, é negociar entre 4 a 5 unidades por ano. Agora, o momento é de esperar a crise passar, já que ninguém está disposto a desembolsar um valor tão alto num período de instabilidade. Como consolo, a Dassault promete entregar, no fim do ano, as quatro primeiras unidades vendidas para o mercado brasileiro do seu novo avião, o modelo 8X, que custa mais de US$ 50 milhões e é capaz de voar de São Paulo a Moscou sem escalas. Um desempenho digno de uma Olimpíada.


Fonte: IstoÉ Dinheiro

05/02/2016

WWA realiza Treinamento da Brigada de Incêndio

Com o intuito de melhorar os serviços e atendimentos da World-Way Aviation, no dia 20/01/2016, realizamos no hangar o 1º Treinamento da Brigada de Incêndio com funcionários, administrada pela empresa HML Ambiental.

Seguindo a Instrução Técnica 17/2014, NR 23 (Proteção Contra Incêndios) e NBR nº 14.276/99 (ABNT), os participantes tiveram conhecimento das ações de prevenção de incêndios, ações de emergência, formas de combustão, métodos de extinção de fogo e os diversos equipamentos de combate à incêndio, com aulas teóricas e práticas, além das técnicas para o RCP (reanimação cardiorrespiratória).

Reafirmamos que todos os treinamentos são importantes para o desenvolvimento de visão de negócio e competência de aprender os aspectos do ambiente da WWA.


 

20/01/2016

Vote pela WWA no site da AIN!

As votações para melhor FBO no site da AIN já estão no ar e ficarão disponíveis até dia 12 de fevereiro. Clique aqui para acessar o site e deixe o seu voto para a World-Way Aviation (SDCO)!


Ainda não possui cadastro? Acesse o site, complete e crie uma senha para visualizar novidades e a área exclusiva da AIN online.

 

07/10/2015

World-Way Aviation participará do NBAA 2015

A World-Way Aviation anuncia participação no principal evento de aviação executiva do ano: o NBAA 2015.

Sediado em Las Vegas (EUA), o evento reunirá cerca de 26 mil contatos-chave da aviação de todo o mundo, incluindo atuais e potenciais proprietários de aeronaves executivas, fabricantes e clientes em um só lugar. Entre as principais atrações, o evento da indústria premier vai oferecer:

- 1.000 expositores com os mais recentes produtos e serviços;
- Quase 100 aeronaves executivas side-by-side em exibição estática;
- Dezenas de palestras sobre segurança e eficiência.

Estaremos no estande da World Fuel Services, C11216 (Las Vegas Convention Center).


Saiba mais sobre o evento em: www.nbaa.org/events/bace/2015

 

02/10/2015

Programa de Trainee 2016 World-Way Aviation

A GWI busca profissionais que tenham proatividade, dinamismo, capacidade analítica, senso de priorização e organização, espírito empreendedor, liderança, adaptabilidade e que gostem de desafios. Terão a missão de desenvolver projetos de melhoria em sua área de atuação, contribuindo para o crescimento da companhia, com autonomia para execução das atividades de rotina, contando com o suporte da equipe e dos gestores da área.

O Programa
Ao longo do programa, os selecionados passam por todas as áreas da companhia com orientação dos principais executivos. O programa tem duração de 18 meses e durante esse período os profissionais receberão orientação dirigida para a área que optaram e aprofundarão os conhecimentos sobre suas atividades futuras. Após o programa, os trainees serão alocados em projetos específicos de cada empresa e deverão propor um projeto de melhoria na sua área.

Processo Seletivo
O Processo Seletivo é totalmente conduzido pela companhia, dando o suporte necessário aos candidatos. Após o término das inscrições, os candidatos selecionados passarão por teste de português, inglês e raciocínio lógico, farão dinâmicas de grupo e entrevistas individuais, apresentação de negócios e painel final com presidente e vice-presidentes da companhia.

Local de Trabalho
Sorocaba/SP

Pré-requisitos
Estudantes com formação superior nível bacharelado de dezembro/2013 a dezembro/2015 para as seguintes áreas: administração, engenharia, contabilidade e finanças.
Disponibilidade para viagens e mudanças de cidade, estado ou país.
Inglês fluente.

Benefícios
Salário inicial de R$ 4.500,00.
Assistência médica, assistência odontológica, vale refeição, vale transporte e seguro de vida.

Inscrições
recursoshumanos@gwigroup.com.br | assunto: TRAINEE WWA
Até 15/11/2015!

Faça parte da nossa equipe!

21/09/2015

World-Way Aviation é o 1º hangar do Brasil a operar o rebocador elétrico Tronair Jet Porter JP100S

É com enorme satisfação que o World-Way Aviation informa o recebimento do primeiro rebocador elétrico towbarless Tronair Jet Porter JP100S a operar no país. Este tipo de rebocador é utilizado frequentemente nos melhores FBOs espalhados pelo mundo, devido à sua capacidade para rebocar de forma eficiente uma variedade de modelos de aeronaves com o mais alto nível de segurança.

Com aprovações (OEM) dos principais fabricantes de jatos do mercado, o rebocador Tronair Jet Porter JP100S é recomendado por sua confiabilidade, flexibilidade e alto desempenho nos mais difíceis e desafiadores ambientes. Comprometido com os mais altos níveis de práticas de handling na aviação e seguindo normas internacionais de segurança, os clientes do World-Way Aviation vão desfrutar do melhor serviço de FBO no Brasil, inovando e investindo em infraestrutura diferenciada, operações de rampa e atendimento ao cliente.

"Com o rebocador Jet Porter JP1000S da Tronair, esperamos atingir o mais alto nível de operações de rampa e mitigar os riscos diários de operação, bem como a nossa preocupação e compromisso em criar um ambiente mais limpo e sustentável", diz Ana Recart, CEO do World-Way Aviation.

Fonte: World-Way Aviation

21/05/2015

Outros 6 FBOs se juntam a Air Elite Network

A World Fuel Services anunciou que seis novos FBOs se juntaram a rede em expansão Air Elite Network, com 9 tendo sido credenciados em 2015. Os membros mais recentes levam a Air Elite a um total de 43 localizações credenciadas ao redor do globo, desde o lançamento do programa pela World Fuel Services no final de 2011. Os FBOs membros do programa precisam cumprir altos padrões relacionados a operação aeroportuária, instalações, e serviços ao clientes, que são regularmente auditados a fim de garantir seu cumprimento.

As novas adições ao programa incluem o Fireblade Aviation FBO no Aeroporto Internacional de Tambo – Johannesburg, África do Sul; o Caribbean Support & Flight Services no Aeroporto Internacional Ernesto Cortissoz – Barranquilla, Colombia; e o Fort Collings-Loveland jetCenter – norte do Colorado, EUA. O novo FBO da Jet Aviation em Nassau nas Bahamas se juntou a rede no início do ano, somando a contribuição da Jet Aviation para o portfólio da Air Elite para um total de 11. A rede também adicionou seu primeiro membro no México, por meio do terminal privado no Aeroporto Internacional Cabo San Lucas.

O sexto novo FBO da Air Elite deve iniciar suas operações no próximo mês, quando a World-Way Aviation inaugurar seu empreendimento de última geração, próximo a São Paulo, Brasil.
 

Fonte: Air Elite